O comércio agrícola é repleto de desafios e de situações que pedem estudo, jogo de cintura e conhecimento sobre o setor. A tarefa de aumentar a produtividade rural, por exemplo, envolve várias técnicas que impactam diretamente nos resultados da sua produção.

Como agricultor, é importante aumentar a produtividade a fim de que o desempenho do seu agronegócio traga bons frutos e permita que a próxima colheita seja rica e próspera.

Afinal, o aumento da produtividade rural reduz gastos, faz crescer os lucros e proporciona um bom rendimento da produção. Para te ajudar nesse processo, separamos 9 dicas que promovem o potencial máximo da sua propriedade. Confira!

Clique para conferir informações sobre o crédito para produtor rural da Sicredi União PR/SP.

1. Faça análises no solo

Conhecer o solo em que você realizará o cultivo é entender, com assertividade, a capacidade de produção do seu terreno. Além disso, é uma forma de trabalhar em melhorias, corrigindo o pH ou realizando uma adubação rica em nutrientes de acordo com o plantio.

O ideal é realizar análise do solo periodicamente, para garantir que haja matérias orgânicas para toda sua produção durante o ano e para evitar que não ocorra compactação ou erosão em demasia.

Na hora de realizar os cuidados do solo, é importante optar por práticas conservacionistas, que são benéficas ao meio ambiente e resultam em vantagens a longo prazo, sem desgastar o terreno.

Para controlar a compactação e a erosão, é possível investir em plantas de cobertura, que geram matéria orgânica e promovem uma zona de plantio mais saudável, aumentando, também, a produtividade na produção rural a longo prazo.

2. Escolha bem as sementes

Escolher sementes certificadas e de qualidade é fundamental para que sua produtividade agrícola seja interessante, pois elas germinarão de maneira uniforme, o que facilita o processo de colheita.

Pessoa observando a saúde das plantas conforme elas crescem com os dedos.
Escolher sementes de qualidade garante um crescimento mais saudável e resistente.

Avalie os atributos físicos e sanitários por trás do grão escolhido, visto que eles influenciam no cuidado com o solo e na disseminação — ou não — de doenças.

Uma dica é investir um tempo em um canteiro de teste, a fim de observar o crescimento da semente e experimentar como será o tratamento. Dessa forma, consegue plantar em grande escala de forma mais assertiva.

3. Realize o controle de pragas

O controle de pragas é uma forma de garantir que o cultivo será feito com excelência, sem prejuízos e sem surpresas, afinal, muitas vezes, as populações de insetos só são descobertas quando já estão causando danos.

Faça um levantamento e monitore a área de plantio com o intuito de adiantar possíveis ataques. 

Na hora de escolher como realizar a administração de pragas, opte por técnicas de controle biológico, já que elas são menos agressivas ao meio ambiente e ao solo, além de gerar legumes mais saudáveis e que podem ser comercializados com um melhor ticket médio por serem livres de agrotóxicos.

Novamente, a dica é testar técnicas de controle em canteiros específicos. Dessa forma, você observa as reações antes de aplicar em larga escala, o que diminui riscos.

4. Fique atento às plantas daninhas

Assim como as pragas, as plantas daninhas podem causar prejuízos na produtividade da produção. Por isso, é interessante realizar um monitoramento e um levantamento delas, para se prevenir de antemão.

Geralmente, as ervas daninhas seguem um padrão de acordo com a região, por isso, conhecer seu terreno já é uma forma de iniciar o monitoramento. Existem, ainda, aplicativos que ajudam a identificar e a controlar a proliferação das plantas.

Agricultor identificando ervas daninhas utilizando a tecnologia.
As ervas daninhas podem ser identificadas com a ajuda da tecnologia, por meio de aplicativos.

Para o controle, você pode optar por herbicidas combinados à rotação de culturas. Além disso, plantar sementes certificadas e de qualidade também ajuda, visto que elas germinam com mais resistência.

Sempre que possível, evite controles químicos, já que eles agridem o solo e podem, no futuro, diminuir a produtividade rural do terreno. Algumas alternativas são medidas preventivas, culturais e mecânicas.

5. Invista em maquinários especializados

Contar com as máquinas certas economiza tempo e ajuda a garantir uma colheita sem muitas perdas. 

Tratores, colheitadeiras e semeadoras bem reguladas e limpas significam precisão e excelência na hora dos cuidados diários e da colheita em si.

6. Desenvolva técnicas agrícolas de precisão

A agricultura de precisão consiste na utilização de técnicas que, com o auxílio da tecnologia, organizam e potencializam a produtividade rural.

Por meio de aplicativos e de softwares, a agricultura de precisão permite monitorar locais de coleta, identificar o crescimento de plantas daninhas, realizar estudos no solo, prevenir ataques de pragas e muito mais.

É preciso certo investimento para implementar as técnicas, porém o rendimento a longo prazo é certo e muito mais produtivo.

7. Realize uma boa gestão agrícola

Colher muito não significa, necessariamente, ser produtivo. É preciso acompanhar os insumos utilizados e gastos em materiais. Além disso, é uma forma de documentar informações, de monitorar o tempo de cada atividade e de analisar os dados por trás de toda a cadeia de produção.

Terreno de plantio marcado por software.
A gestão agrícola gera dados importantes sobre a cadeia de produção.

Novamente, a tecnologia é sua melhor aliada na hora de realizar a gestão agrícola. Existem programas de computador que permitem armazenar os dados sobre a produção e que geram gráficos para análise.

Dessa forma, você tem noção de quanto gasta e do que toma mais tempo, por exemplo, o que permite elaborar estratégias para otimizar essas atividades.

8. Conte com uma boa equipe

Independentemente de trabalhar com um time de colaboradores ou com sua família, é importante cuidar, zelar e desenvolver as pessoas que estão ao seu lado, afinal, elas impactam diretamente na sua produtividade rural.

Realize reuniões, solicite ideias, ouça sua equipe e ofereça benefícios para que eles trabalhem motivados. Outra ideia é investir em cursos e capacitações a fim de que todos continuem crescendo.

Formar times e responsáveis por determinadas atividades também é uma boa ideia. Caso você não tenha familiaridade com tecnologia, pode escolher algumas pessoas para realizarem o monitoramento da agricultura de precisão, por exemplo.

Assim, consegue implementar várias técnicas que aumentam a produtividade rural e garante uma gestão agrícola otimizada e com bons resultados.

9. Defina KPIs para o agronegócio

Os KPIs são indicadores de produtividade rural, uma forma de definir objetivos para que sua produção continue em desenvolvimento. Além disso, é uma forma de apontar para os colaboradores qual o futuro do agronegócio, a fim de que todos trabalhem para chegar lá em conjunto.

Os indicadores mais comuns são o de custo de produção, eficiência da mão de obra e consumo de água x produção. Existem, ainda, indicadores de projeção, como a taxa de aumento da produção e o potencial de produção.

Pesquisar sobre eles e entender como calculá-los ajuda, ainda, a traçar metas para o futuro. Dessa forma, você define onde quer chegar em um ano.

Aumentar sua produtividade rural significa ter um melhor rendimento dos insumos e contar com um crescimento saudável para seu agronegócio. Por isso, implementar essas dicas — mesmo que devagar — é ótimo para continuar se desenvolvendo.

Outra ação fundamental como produtor rural é manter-se alinhado à safra atual. Por isso, a Sicredi União PR/SP desenvolveu uma cartilha explicando o plano de 2020/21. Baixe-o gratuitamente clicando na imagem abaixo!

Clique para baixar a cartilha explicativa do Plano Safra 2020 e 2021.

Avaliar:

(0)