Tanto no Brasil quanto no mundo, o milho está entre as principais commodities. Isso se dá graças à sua importância para diferentes finalidades, como a alimentação, a fabricação de etanol e a alimentação para criação de animais. 

Entretanto, a produção do milho pode passar por altos e baixos. Entre 2020 e 2021, graças a uma série de fatores adversos, o grão enxergou uma desvalorização, mas neste ano, ele promete ser um ótimo investimento para os produtores rurais, baseado em relatórios agrícolas importantes.

Quer entender melhor esse assunto? Continue a leitura até o fim e entenda por que investir na produção de milho durante o ano de 2022!

Produção de milho: o que é preciso saber?

O milho desempenha um papel importante na nossa agricultura. Durante todo o ano, o grão é semeado e colhido em todas as regiões brasileiras, com alternância entre as safras, o que torna a sua produção praticamente ininterrupta. 

Atualmente, o Brasil está posicionado como terceiro maior produtor e segundo maior exportador do grão no mundo, se tornando responsável por uma ampla fatia do mercado mundial. 

mãos segurando espiga de milho produção
O Brasil se destaca a nível como produtor e exportador de milho.

Além disso, o preço da commodity é valorizado em bolsas de valores como a B3 e a Boston Scientific. Costuma ter muito prestígio graças à alta produção de milho por hectare e ótima liquidez, e seu valor de mercado tem poucas oscilações, o que evita desvalorizações indesejadas e repentinas para o investidor.

A safra 2020/2021

Entre o segundo semestre de 2020 e início de 21, o milho apresentou uma queda na produtividade em decorrência de adversidades como secas, geadas e pragas. Na ocasião, o diretor-presidente da Conab, Guilherme Ribeiro, afirmou que se tratava da “safra mais difícil nos últimos 30 anos no país”. 

Outros fatores que serviram como empecilho foram as mudanças geradas pela pandemia. Em um primeiro momento, as exigências com relação a padrões técnicos e sanitários eram muito maiores para evitar o contágio da doença, e isso acabou desacelerando alguns fatores relacionados à produção do grão.

O resultado foi uma produção de 85,75 milhões de toneladas, que em comparação com a safra de 2019/2020, representou uma redução de 16,4%.

A safra 2021/2022

Conforme publicado pela Conab no 3º Levantamento de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento, a produção do milho deve crescer quase 35% com relação ao período anterior, o que representa um recorde para o grão.

Segundo o mesmo relatório, algumas das razões para essa retomada foram a normalização do clima, a retomada das chuvas e o incremento no plantio da primeira safra.

Além disso, houve também um crescimento na demanda para os mercados internos e externos, tanto para a produção de etanol quanto para a produção de ração animal.

produção de milho crescendo na safra 2021 2022
Embora tenha enfrentado desafios nas últimas safras, a demanda pelo milho e o potencial de produção nesse ano são muito altos.

Por conta dessa conjunção de fatores, aliado à demanda e ao Real desvalorizado com relação à moeda estrangeira, o cereal também passou por um aumento em seu valor de mercado, tornando-se mais rentável para o produtor.

Todo esse panorama coloca o milho entre as principais culturas para se investir em 2022, ocasionando uma boa lucratividade e poucas perdas em decorrência de adversidades.

Desafios da produção de milho

Quando falamos em produção agrícola, sempre existem desafios, já que tudo depende de uma série de fatores externos. Portanto, mesmo com o momento favorável, é essencial que você preste atenção a alguns fatores.

O primeiro deles é a ameaça de estiagem na região Sul. Mesmo com a previsão de melhora no clima, a falta de chuvas ainda pode ser uma ameaça para produtores. Uma das razões para isso é o fenômeno meteorológico conhecido como La Niña, que ocorre periodicamente de maneira imprevisível.

Esse evento ocorre graças ao resfriamento das temperaturas médias do Oceano Pacífico, e provoca estiagens no Sul, Sudeste e Centro-Oeste, e alto volume de chuvas no Norte e Nordeste.

broto de milho desafios da produção de milho
Mesmo com o clima favorável, em algumas regiões, há ameaça de estiagem.

Recentemente, uma revisão de safra feita pela AgRural alertou a respeito de prejuízos causados pela falta de chuvas no Rio Grande do Sul. Ao investir nessa cultura, é necessário estar atento às previsões climáticas e à possibilidade de perdas.

Outro fator para se atentar é a falta de fertilizantes e pesticidas, uma vez que os mercados chinês e europeu anunciaram a diminuição e até a paralisação na produção desses insumos.

Eventualmente, isso pode ocasionar o ataque de pragas como a cigarrinha-do-milho e as lagartas. Nesses casos, pode ser necessário buscar outras soluções práticas, como controle biológico e rotação de culturas.

Mesmo com alguns fatores adversos, a produção de milho promete ser muito rentável em 2022. Tanto as previsões agrícolas quanto financeiras enxergam no cereal uma oportunidade para a movimentação da economia no ano.

Se você pretende trabalhar com a produção dessa e de outras culturas, precisa conhecer as soluções do Sicredi União PR/SP para seu agronegócio, como crédito rural, investimentos e seguros. Clique no banner abaixo para saber mais!

produção de milho sicredi

Avaliar:

(0)