O trabalho com produção agrícola é repleto de conhecimentos teóricos e práticos para que você obtenha o melhor na hora da colheita, sem prejuízos. Para diferentes plantas são necessários cuidados específicos, principalmente porque cada espécie possui determinadas características.

Conhecer as plantas daninhas da soja, por exemplo, é fundamental para quem trabalha com a espécie. Dessa forma, a identificação e o combate das pragas na área de plantio será mais eficiente, evitando prejuízos e danos antecipadamente.

Quando o controle de plantas daninhas na cultura de soja não é realizado, os resultados são bastante tristes. Em casos extremos, 70% da lavoura pode ser perdida. Além disso, é comum se deparar com dificuldade de colheita, perda na qualidade do produto final e alocação de pragas e de doenças no solo.

Em muitos casos, o manejo do solo é o mais indicado, pois dispensa o uso de pesticidas e de herbicidas no futuro. No entanto, caso você tenha deixado esse cuidado passar, conhecer as espécies e como combatê-las é fundamental.

Pensando nisso, continue a leitura e informe-se agora mesmo! Reunimos as principais plantas daninhas da soja para você se familiarizar — ao todo, são seis. 

1. Capim-amargoso

Também conhecida como capim-flecha, capim-açu e capim-pororó, esta espécie (cientificamente chamada de Digitaria insularis) possui a habilidade de se reproduzir o ano todo e em praticamente todas as regiões do Brasil.

plantas daninhas da soja capim amargoso
O capim-amargoso é ereto e possui ciclo perene.

Cresce rápido, é bastante adaptável e possui ciclo perene. Ao nascer, é ereta e forma touceiras. A reprodução acontece via sementes e por meio de curtos rizomas, o que dificulta bastante o controle.

Na hora de realizar o manejo de plantas daninhas de soja desta espécie é indicado utilizar os seguintes produtos:

  • Graminicidas
  • Diclosulam, ou imazetapir
  • Glifosato
  • Glufosinato
  • S-metolacloro
  • Trifluralina
  • Flumioxazin combinado com imazetapir

Caso você opte pelo glifosato, é válido apontar que determinadas espécies de capim-amargoso estão desenvolvendo resistência ao produto. Por isso, é indicado combiná-lo a outros pesticidas.

Para realizar a pré-emergência, por outro lado, o indicado é a utilização dos seguintes compostos:

  • Diclosulam
  • Trifluralina
  • Trifluralina combinado com imazetapir
  • S-metolacloro

Plantas já perenizadas ou áreas com infestação elevada necessitarão de três aplicações de herbicidas (a qual também pode ser substituída por uma roçada e duas administrações).

2. Buva

A buva é uma planta também conhecida como voadeira e possui três variações de espécies mais comuns na plantação de soja: Conyza sumatrensis, Conyza bonariensis e Conyza canadensis.

plantas daninhas da soja buva
A buva é capaz de se espalhar rapidamente devido ao elevado número de sementes.

É uma planta de nascimento anual, que cresce ereta e que se reproduz por sementes, as quais são extremamente leves e podem ser carregadas pelo vento com extrema facilidade.

O ideal, novamente, é que a buva tenha manejo preventivo, de forma que o solo seja preparado antes da plantação. Isso é importante devido ao fato de que a buva pode produzir até 350 mil sementes, que serão espalhadas com facilidade e que são bastante resistentes.

Ademais, quando no final do ciclo de vida, a buva pode servir de abrigo para pragas e doenças, que assolarão toda a plantação.

Os pesticidas mais indicados para realizar o manejo da planta após seu crescimento são:

  • 2,4-D, chlorimuron e diclosulam, para combater a espécie Conyza sumatrensis
  • 2,4-D, sulfentrazone, saflufenacil, diclosulam, dicamba, diquat, chlorimuron, flumioxazin, imazapyr, glufosinato e glifosato para combater a espécie Conyza bonariensis
  • Imazethapyr, glifosato e saflufenacil, para combater a espécie Conyza canadensis

3. Capim-pé-de-galinha

O capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) é capaz de se desenvolver em qualquer solo, sobretudo em regiões com temperaturas e umidade mais elevadas. Também pode ser conhecido como capim-do-pomar ou, apenas, pé-de-galinha.

plantas daninhas da soja capim pé de galinha
O capim-pé-de-galinha é bastante adaptável.

É uma planta anual e perene, que forma touceiras e que se reproduz por sementes. Os herbicidas para o manejo de plantas daninhas na soja desta espécie são:

  • Graminicidas
  • Metribuzin
  • Sulfentrazone
  • Glifosato
  • Glifosato combinado com imazethapyr
  • Glifosato combinado com s-metolachlor
  • S-metolachlor
  • Trifluralina
  • Clomazone
  • Carfentrazona combinado com clomazone

4. Caruru

Esta planta daninha, cientificamente catalogada como Amaranthus deflexus, possui crescimento rápido e produz muitas sementes — cerca de 500 mil —, o que pode ser um problema para a soja.

plantas daninhas da soja caruru
Regiões mais frias certamente não sofrerão com a caruru, pois ela não resiste a geadas leves.

A praga cresce, geralmente, em meses com temperaturas mais altas, pois geadas fracas podem combatê-la facilmente. Além do clima, outros combatentes para a caruru são:

  • Glifosato
  • Chlorimuron 
  • Fomesafen

5. Amendoim-bravo

Popularmente conhecido, também, como flor-dos-poetas, café-do-diabo e leiteira, o amendoim-bravo (Euphorbia heterophylla) é uma planta com ciclo anual, ereta, pouco ramificada e com reprodução via sementes.

plantas daninhas da soja amendoim bravo
É necessário cuidar com atenção do amendoim-bravo, pois suas sementes são muito resistentes.

É uma planta daninha resistente e que merece atenção, pois suas sementes possuem viabilidade longa, sua germinação acontece em grandes profundidades e seu crescimento é bastante rápido.

O amendoim-bravo vem demonstrando, ainda, certa resistência ao glifosato, o que torna os seguintes herbicidas boas formas de manejo:

  • 2,4-D
  • Chlorimuron
  • Dicamba
  • Diclosulam
  • Diquat
  • Sulfentrazone
  • Saflufenacil
  • Lactofen
  • Imazethapyr
  • Imazaquin
  • Imazamox
  • Glufosinato
  • Glifosato combinado com imazethapyr
  • Acifluorfen combinado com bentazon
  • Fluazifop combinado com fomesafen

6. Trapoeraba

A trapoeraba (Commelina benghalensis) tende a aparecer na lavoura de soja no fim do processo de cultura, de forma que o controle deve ser feito para evitar prejuízos no próximo plantio — após o aparecimento da praga.

plantas daninhas da soja trapoeraba
A trapoeraba tende a aparecer no fim da cultura da soja.

É preciso ficar bastante atento à trapoeraba, pois ela produz sementes aéreas e subterrâneas. Além disso, atualmente, ela já é resistente ao glifosato.

Para realizar o manejo da planta, portanto, opte pelos seguintes pesticidas para a lavoura:

  • 2,4-D
  • Glufosinato
  • Chlorimuron
  • Sulfentrazone
  • Dicamba
  • Clomazone
  • Carfentrazone
  • Lactofen
  • Imazethapyr
  • S-metolachlor
  • Fomesafen
  • Flumioxazin
  • Glifosato combinado com imazethapyr

Saber identificar e realizar o manejo das plantas daninhas da soja é extremamente importante para a produtividade e para a prosperidade da safra. Por isso, fique atento à lavoura e ao aparecimento de pragas cotidianamente, por meio de drones ou de uma verificação com maquinário.


Para mais informações sobre agricultura e produção rural, assine a newsletter da Sicredi União PR/SP. Basta rolar a página para baixo, preencher o formulário e pronto: você receberá conteúdos exclusivos no seu e-mail!

Avaliar:

(0)