Reservas de emergência, previdência privada, fundo de investimento ou poupança: onde guardar seu dinheiro para que ele tenha boa rentabilidade?

Essa pergunta provavelmente já passou na cabeça das pessoas que estão pensando em poupar dinheiro e buscam por taxas de juros interessantes e que forneçam um excelente retorno sobre o valor investido.

Hoje em dia, opções não faltam. Logo, para solucionar a questão que abre este texto, é preciso analisar sua realidade, seus objetivos e as diferentes opções de onde guardar dinheiro.

Por isso, separamos 7 opções para te apresentar e te ajudar na hora de responder a questão “onde é melhor guardar meu dinheiro?”. Para descobrir o que mais faz sentido em sua vivência, continue a leitura e informe-se!

Por que escolher um lugar para guardar dinheiro?

Antes de escolher onde depositar seu capital, é importante ter em mente, de forma transparente, a vantagem em guardar dinheiro de forma não física — ou seja, sem que ele esteja na sua casa, como era comum antigamente.

O primeiro benefício está relacionado com a rentabilidade. Ao investir em planos de previdência, em poupanças ou em programas de renda fixa, por exemplo, você garante que um valor sob o capital aplicado retornará para seu bolso apenas pelo fato dele estar guardado em determinado lugar.

Em segundo lugar, podemos citar a organização. Ao separar o dinheiro que será guardado do que pode ser gasto, você tem a certeza de que não irá extrapolar o limite, deixando de poupar o quanto gostaria.

Por fim, e como terceira grande vantagem, está a segurança. Um dinheiro guardado está muito mais protegido do que aquele em sua casa ou em sua carteira.

Ao guardar dinheiro em uma poupança, por exemplo, você garante que ele ficará seguro.

Dessa forma, em casos de furtos, seu dinheiro estará seguro. Além disso, você garante que não irá perder nenhuma nota pela residência.

Como escolher onde é melhor guardar dinheiro?

Como comentado, a escolha de onde guardar dinheiro para render precisa ser feita com orientação, a fim de que suas metas e seus objetivos pessoais sejam alcançados conforme o retorno aparecer.

Por isso, pergunte-se qual a finalidade do capital que estará sendo armazenado. Para orientar melhor a decisão, é válido definir seu objetivo como de curto, médio ou longo prazo.

Uma viagem, por exemplo, é algo a ser planejado a curto prazo. Portanto, o ideal é optar por programas no qual o capital pode ser retirado a qualquer momento, como a poupança.

Já quem quer investir na bolsa e não precisa de um retorno para os próximos meses, pode optar por uma aplicação no fundo de renda fixa, como o Tesouro Direto.

Os investimentos a longo prazo são, geralmente, feitos por quem tem um dinheiro reservado ou por quem possui visão de futuro a ponto de entender que os altos e baixos do mercado podem te favorecer.

O único ponto ao qual é preciso ficar atento são os riscos. Portanto, faça cursos e busque material de estudo antes de investir a longo prazo, para evitar prejuízos.

Opções de onde investir o dinheiro

Definindo seu propósito na hora de poupar dinheiro, é o momento de conhecer melhor cada uma das sete opções de lugares para guardá-lo. 

1. Poupança

A poupança é uma das formas mais conhecidas pelas pessoas na hora de guardar dinheiro. Basicamente, após a inserção do capital, ele começa a render — e o retorno varia no decorrer do ano.

Segundo levantamentos, o rendimento acumulado da poupança em 2020 foi de 2,11%, um valor considerado bastante baixo. Em 2021, o rendimento dos primeiros meses está abaixo dos números do mesmo período no ano anterior.

A poupança é um dos lugares mais conhecidos na hora de guardar dinheiro.

Esses dados demonstram que, infelizmente, a rentabilidade da poupança não é das maiores, o que não a torna uma das melhores opções. 

No entanto, para quem busca um lugar para investir pensando no curto prazo, ela pode ser uma boa escolha, já que o capital está sempre disponível para retirada.

2. Tesouro Direto

O Tesouro Direto é um programa do governo que vende títulos federais para pessoas físicas, com aplicação mínima de R$ 30 e máxima de R$ 1 milhão por mês.

Ao guardar seu dinheiro no Tesouro Direto, você está emprestando ao governo brasileiro e, quando vendê-lo, receberá o valor de volta, com direito à remuneração com juros.

É um programa de renda fixa para quem deseja armazenar o dinheiro a curto, médio ou longo prazo, já que os vencimentos acontecem de 2022 a 2050.

3. Certificado de Depósito Bancário

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um programa no qual você empresta, para o banco, determina quantia de dinheiro, recebendo-a de volta depois de certo tempo com juros.

O CDB consiste, basicamente, em emprestar dinheiro ao banco para recebê-lo mais tarde, com juros.

Ao guardar o dinheiro via CDB, será preciso escolher uma data para realizar o resgate. Conforme o tempo passa, acontece a liquidez diária, de forma que, se você precisar pegar o capital antes do prazo escolhido, terá um retorno relativo ao período do empréstimo.

Mesmo assim, o mais indicado é esperar a data limite, para que o retorno sobre o investimento seja de fato interessante.

O prazo médio de vencimento do CDB é de cinco anos, de forma que é considerado, por especialistas, um investimento de curto a médio prazo.

4. Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

Semelhante ao CDB, o LCA é um fundo de renda fixa cujos recursos captados são empregados em créditos do agronegócio. O programa solicita um investimento mais alto, com média de R$ 5 mil.

Além disso, possui baixa liquidez e é ideal para quem busca investir de médio a longo prazo, justamente por ter que esperar certo tempo para receber o retorno sobre o valor.

Uma vantagem do LCA que precisa ser citada é sua isenção do imposto de renda, mostrando-se bastante interessante.

5. Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

Enquanto a LCA é destinada ao setor agrícola, a LCI é uma linha de investimento voltada para o imobiliário.

No geral, os programas são semelhantes em suas características, inclusive no benefício da isenção do imposto de renda.

6. Outros fundos de renda fixa

O Tesouro Direto, o CDB, o LCA e o LCI são fundos de renda fixa, porém existem outras modalidades para quem deseja investir nesse formato, famoso por sua baixa volatilidade das taxas de juros.

Como exemplo, podemos citar o Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) e o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), fundos de renda emitidos por instituições securitizadoras — ao contrário do LCA e do LCI, que são feitos por instituições financeiras.

Os fundos de renda fixa são outras opções para guardar — e investir — seu dinheiro.

Para quem se interessar, a maior diferença entre ambos é o volume do aporte, de forma que os CRAs tendem a possuir um valor inicial mais elevado.

Esses fundos de renda fixa são considerados investimentos de médio a longo prazo, pois o tempo mínimo para vencimento é de cerca de quatro anos. 

Além disso, são conhecidos pela baixa liquidez, de modo que resgatar o dinheiro antecipadamente pode resultar em menos retorno.

7. Previdência privada

É possível, também, guardar seu dinheiro em uma previdência privada, a aposentadoria sem vínculo com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Existem dois tipos, e a diferença entre eles se relaciona com o imposto de renda (IR).

Vida Gerador de Benefícios Livre (VGBL)

Indicado para quem usa o modelo simplificado de declaração do imposto de renda cujo desconto padrão é de 20% e sem deduções, o VGBL não permite a dedução do IR.

Quando o valor investido for, enfim, resgatado, o imposto será pago sobre os rendimentos ao invés do total acumulado.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

Ideal para pessoas que utilizam o modelo completo de declaração do imposto de renda, o PGBL permite que o valor investido seja deduzido do IR ao longo do ano. 

No entanto, ao resgatar o dinheiro, o valor pago no imposto de renda será relativo ao que foi investido e aos rendimentos recebidos.

O tempo para resgatar as aplicações na previdência privada é estipulado em contrato e, geralmente, é um investimento a longo prazo. Para sacá-lo antes, é preciso pagar uma taxa extra.

Escolher onde guardar seu dinheiro é extremamente importante antes de aplicá-lo. Dessa forma, você opta por um programa que faça sentido dentro da sua vida e dos seus objetivos.

Caso você tenha optado pela tradicional poupança, justamente pelo benefício de resgatar seu dinheiro sempre e quando quiser, precisa conhecer a da Sicredi União PR/SP!

Além de contar com uma poupança que atende às suas necessidades, ao escolher a Sicredi, você está se tornando parte e dono de uma cooperativa, no qual, diariamente, o senso de coletivo está superpresente.

Dessa forma, os objetivos e as metas de cada um se tornam o de todos. Cada associado trabalha para que a cooperativa continue crescendo.


Para conhecer mais sobre a poupança da Sicredi União PR/SP, clique na imagem abaixo e confira todas as informações que você precisa!

Avaliar:

(0)