Em investimentos, seguidores interagem mais sobre Tesouro Direto, bônus e poupança

Em investimentos, seguidores interagem mais sobre Tesouro Direto, bônus e poupança

As redes sociais estão lotadas de conteúdos sobre investimentos, e os seguidores estão ávidos pelos conhecimentos que os ajudarão a decidir as melhores opções de acordo com cada perfil. Uma pesquisa da Associação das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima) analisou o conteúdo e as interações de postagens feitas por 277 influenciadores digitais de investimento entre fevereiro e dezembro do ano passado. No período foram mais de 405 mil postagens públicas, que alcançaram 91,5 milhões de seguidores, o equivalente a mais de um terço dos brasileiros. O relatório, chamado de FInfluence – quem fala de investimentos, foi feito em parceria com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD).

Moedas (em especial dólar e real), ações e criptomoedas foram os produtos e serviços mais mencionados pelos influenciadores, totalizando 73% das menções. Em contrapartida, os assuntos que tiveram as maiores médias de interações dos seguidores foram Tesouro Direto, bonificação e poupança. “Com o aumento da taxa Selic, este é um momento atrativo para a renda fixa, por isso o assunto tem atraído tanto a atenção dos seguidores quanto tem gerado postagens dos influenciadores”, comenta o economista Victor Hugo Moreira, que é analista de investimentos da Sicredi União PR/SP. O Twitter é a rede social mais utilizada entre os influenciadores, já que de cada dez postagens, seis foram usando a rede. Na sequência estão Instagram. Facebook e YouTube.

Para Moreira, o relatório confirma que o assunto tem crescente interesse pelos brasileiros, mas é preciso continuar investindo na elevação dos conhecimentos de educação financeira. “Os brasileiros precisam entender mais sobre endividamento, taxa de juros e investimentos, por isso, é preciso ensinar o básico de educação financeira desde a infância. E como o tema tem um universo gigante, os influenciadores, sendo analistas, trader, investidores independentes, especialistas ou produtores de conteúdo, ajudam a desmistifica o assunto”, diz.

Compartilhar esse post:
[instagram-feed feed=1]