Entre os grandes inimigos do produtor rural estão as pragas. Esses organismos, que podem ser principalmente animais, fungos e plantas daninhas, podem comprometer a lavoura e gerar grandes danos à sua produtividade.

Para evitar que isso ocorra, é preciso fazer um bom controle de pragas na agricultura. Além da utilização de defensivos agrícolas, que é uma técnica muito comum, é essencial que você saiba empregar outros métodos alternativos.

Abaixo, citamos algumas das principais ameaças à sua lavoura e quais técnicas utilizar para evitá-las. Boa leitura!

Principais pragas para a agricultura

Podemos chamar de “praga” todo organismo que pode causar danos à área plantada, ou até mesmo, aos seus produtos e subprodutos. Elas podem variar em espécies e tamanhos, e o prejuízo também pode ser diferente.

Abaixo, listamos as principais categorias de pragas e algumas de suas principais ameaças à sua lavoura.

Animais e insetos

Esses pequenos animais costumam atacar diferentes estruturas das plantas, como folhas, raízes, caules, seivas e sementes, e acabar causando danos irreparáveis em seu desenvolvimento.

controle de pragas na agricultura lagarta de espiga
A Lagarta-da-espiga do milho é um tipo de praga para a agricultura.

Entre as principais pragas dessa categoria estão:

  • Lagarta-da-espiga do milho (Helicoverpa zea): trata-se de um tipo de mariposa que ataca as folhas e espigas, além de depositar ovos. Pode ocorrer principalmente no milho, mas também na abóbora, algodão, ervilha, feijão, trigo, entre outros.
  • Pulgão (Aphis craccivora): com pouco mais de 3 milímetros, esses insetos (que podem ou não ter asas) são capazes de sugar a seiva das plantas e impedir seu desenvolvimento. Seus principais alvos são ervilha, feijão, milho e sorgo.
  • Lagarta-Helicoverpa (Helicoverpa armigera): nociva principalmente para soja, milho e algodão, essa mariposa ataca as partes aéreas das plantas, como folhas, flores, frutos e vagens.
  • Corós (Liogenys sp.): é um tipo de besouro que se alimenta das raízes das plantas, inviabilizando seu desenvolvimento. Ataca principalmente o milho, mas também trigo e sorgo.
  • Mosca-branca (Bemisia tabaci): esse inseto transmite vírus para as plantas no período de florescimento, invalidando a produção. É uma ameaça a boa parte das culturas frutíferas, como tomate, abóbora, ervilha, feijão, soja, além de algodão.

Fungos

Além dos animais, os fungos (ou seja, organismos do reino Fungi) podem atacar áreas cultivadas e causar grandes prejuízos. Costumam se espalhar pelo ar e pelo solo e atacar as folhas ou raízes das plantas, impedindo seu desenvolvimento.

Um dos fungos mais conhecidos é a Ferrugem da soja (Phakopsora pachyrhizi), que causa a desfolha precoce dessa cultura. Já o Mofo branco (Sclerotinia sclerotiorum) pode atacar o feijão e a soja, e ocasiona o crescimento de estruturas esbranquiçadas nas folhas, caules e raízes.

Plantas daninhas

Chamamos de daninhas as plantas que nascem juntamente com outra cultura e interferem em sua produtividade. Costumam se desenvolver em condições adversas, o que as faz mais resistentes e mais difíceis de combater.

É necessário ter um bom controle de pragas na agricultura para essas plantas, já que além de ocasionar perdas nas culturas, elas podem até inviabilizar o solo, se não combatidas de forma eficaz.

Algumas das principais plantas daninhas são:

  • Caruru-palmeri (Amaranthus palmeri)
  • Capim-marmelada (Urochloa plantaginea)
  • Capim-amargoso (Digitaria insularis)
  • Picão-preto (Bidens pilosa)
  • Corda-de-viola (Ipomoea spp.)

Como fazer controle de pragas na agricultura

Agora que já entendemos do que se trata cada tipo de praga, é importante abordarmos como fazer o controle delas. Vale lembrar que cada caso deve ser tratado de forma diferente, com manejos e produtos específicos, por isso, estude a solução ideal antes de aplicá-la.

A seguir, explicamos os principais métodos de controle!

Uso de defensivos agrícolas

Esse é o método mais conhecido de acabar com as pragas, e na maioria das vezes, o mais eficaz. Se utilizado de forma correta e acompanhado de outras técnicas, costuma ter uma eficácia altíssima.

Um dos grandes benefícios do uso desse método é ter uma maior produtividade sem precisar aumentar a área de produção. Em contrapartida, se utilizados em demasia, podem fazer mal ao ecossistema e até mesmo causar intoxicação em seres humanos.

controle de pragas na agricultura uso de defensivos agrícolas
O uso controlado de pesticidas é muito proveitoso para a agricultura.

Às vezes chamados de agrotóxicos ou pesticidas, esses produtos englobam produtos para combater insetos (inseticidas), ervas daninhas (herbicidas) e fungos (fungicidas).

Rotação de culturas

Ao produzir apenas um tipo de cultura na mesma terra (prática chamada de monocultura), sua propriedade pode passar por infestações de pragas, já que os parasitas encontram alimento em abundância em um mesmo lugar.

Uma das formas de evitar que isso ocorra é por meio da rotação de culturas – ou seja, após a colheita de um tipo de planta, o produtor rural passa a cultivar uma outra espécie no mesmo solo.

Quando o novo cultivar não é um presa para as pragas, essa prática impede que as pragas se multipliquem. Além disso, ela enriquece o solo, preservando suas condições químicas e físicas.

Manejo Integrado de Pragas (MIP)

Trata-se de uma estratégia utilizada por muitos agricultores que combina diferentes técnicas para manter o nível populacional da praga abaixo de um índice que cause danos significativos, visando principalmente uma boa relação custo-benefício.

O Manejo Integrado de Pragas pode combinar: 

  • Controle cultural: ou seja, a rotação de culturas, adubação, destruição de restos culturais e hospedeiros, irrigação;
  • Controle biológico: se utiliza de inimigos naturais para combater pragas, como de joaninhas para eliminar pulgões ou inseticidas naturais;
  • Controle comportamental: é feito utilizando substâncias ou organismos como hormônios, feromônios e repelentes;
  • Controle genético: trata-se da utilização de organismos geneticamente modificados (OGM) para evitar a multiplicação das pragas.

Com todas as técnicas combinadas, é possível diminuir em até 50% a utilização de produtos químicos. 

Para que a estratégia funcione, é preciso conhecer bem o desenvolvimento da cultura que está em plantio, e em que estágios as pragas podem se desenvolver. Também é preciso fazer amostragens para identificar se as ameaças estão controladas, ou se é necessário realizar algum outro tipo de intervenção.

Utilização de tecnologia

Há muito tempo, agricultura e tecnologia vêm caminhando juntas, e essa relação pode trazer muitos benefícios para o controle de pragas. Uma das técnicas utilizadas é a chamada telemetria.

controle de pragas na agricultura utilização de tecnologia
A telemetria na agricultura é uma forma de usar a tecnologia no combate às pragas.

Trata-se de um sistema de monitoramento que coleta dados em tempo real e envia a uma central de controle, que armazena diretamente na nuvem. Entre essas informações, pode-se fazer análises de solo para identificar o fluxo de pragas.

Além disso, é possível utilizar aplicativos e softwares para ter acesso a esses dados constantemente e cruzar informações com o clima, umidade, solo e geologia, para prever eventuais ataques de animais, fungos ou plantas daninhas. 

Bônus: Seguro agrícola

Embora não seja um método de controle de pragas na agricultura, o seguro agrícola é uma das formas de proteger a lavoura e garantir que o produtor não terá grandes prejuízos caso algum problema acometer suas plantações.

Na Sicredi União PR/SP, você pode fazer diferentes tipos de seguros em parceria com as maiores seguradoras do mercado brasileiro. Clique no banner abaixo para saber mais!

Avaliar:

(0)