Você sabe como investir na poupança? A caderneta é a forma mais simples e acessível de poupar dinheiro e o principal destino das economias dos investidores brasileiros. De cada 100 poupadores, 89 usam a poupança, mostra a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). 

A poupança lidera a preferência nacional pela facilidade de uso, pois muitas vezes é um serviço adicionado automaticamente à conta corrente e sem custos de manutenção. Outra vantagem é o baixo risco, o que garante ao investidor um rendimento sem chance de calote e de desvalorização. 

mudancas-de-habitos-para-investir-dinheiro

Quer um investimento descomplicado? Neste post, você vai aprender como investir na poupança corretamente, como manter seu patrimônio e vê-lo crescer com segurança e descobrir os melhores dias para depósitos e saques.

Como funciona a poupança

A poupança é um produto bancário sem burocracia. Não existem limites de aplicações, e você pode depositar tanto pequenas quantias quanto altos valores e resgatar quando quiser

A aplicação é isenta de taxas administrativas e de imposto de renda e não tem cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) – combo que incide sobre vários outros investimentos.

Mas qual o rendimento da poupança? A aplicação tem regras atreladas à variação da TR (Taxa Referencial) – que é praticamente zero – e à Selic, que é a taxa básica de juros da economia, definida pelo Banco Central. São dois cenários possíveis:

  • Taxa Selic acima de 8,5% ao ano: rendimento da poupança é de 0,5% ao mês + TR.
  • Taxa Selic menor ou igual a 8,5% ao ano: poupança rende 70% da Selic + TR.

Em tempos de juros baixos, a poupança rende menos, assim como todas as aplicações financeiras de renda fixa. Já em temporadas de juros altos, os rendimentos da caderneta são um pouco maiores, mas ainda assim menores do que outros investimentos atrelados à Selic. 

A poupança antiga, anterior a 2012, ano em que as novas regras passaram a vigorar, tinha um rendimento fixo de 0,5% ao ano + TR, independentemente da variação da Selic. Em períodos de juros baixos, era um investimento com ótima rentabilidade.

Um jeito simples de saber quanto está rendendo a poupança é fazer uma simulação. Veja só o exemplo abaixo:

Se você depositar R$ 10 mil na poupança hoje, fazendo aportes mensais de R$ 500 por um período de dois anos, ao final do período, você vai resgatar R$ 22.673,19. Veja o rendimento da poupança Sicredi 2020!

como-investir-na-poupanca
Tela do simulador Sicredi poupança.

Cálculo de juros da poupança

Os juros da poupança têm um ciclo de 30 dias. Isso quer dizer que se você fizer um depósito hoje, o retorno sobre o investimento virá no 30º dia, nunca antes disso. Sendo assim, se o saque for feito no 29º dia, você perderá todo o rendimento daquele ciclo.

Mesmo com a possibilidade de fazer saques a qualquer momento, o investidor deve se atentar ao dia de aniversário da poupança

Se foram depositados R$ 500 no dia 10 de julho, os juros só serão pagos em 10 agosto (ou no dia útil posterior, caso caia em feriado ou fim de semana). Se em setembro a aplicação for feita no dia 15, os juros só serão pagos no dia 15 de outubro. 

Isso quer dizer que a sua poupança pode ter várias datas de aniversário, por isso é fundamental se atentar aos dias de depósito e de aniversário para não perder o rendimento do mês inteiro e, assim, investir do jeito certo. 

Mas como saber o dia de aniversário da poupança? É só ficar de olho no seu extrato do caixa eletrônico e do internet banking. 

Poupança x perfil de investidor

Para os investidores iniciantes, que começaram agora a compreender a importância de formar uma reserva financeira, a tradicional poupança é a opção mais recomendada. É uma aplicação simples, sem taxas e com uma metodologia fácil de acompanhar. 

Além disso, não é preciso ter uma quantia alta para aplicar na poupança pela primeira vez. O investimento inicial é baixo, na faixa dos R$ 20, ou até sem valor mínimo.  

Os depósitos podem ser feitos por canais variados: internet, aplicativo, na agência e no caixa eletrônico. A maioria das instituições financeiras oferece a possibilidade da poupança automática, evitando que você deixe dinheiro parado na conta corrente.

Até mesmo quem já investe há anos escolhe a poupança como modalidade preferida. As razões são as mesmas: facilidade, simplicidade e segurança.  

como-investir-na-poupanca
A poupança é uma aplicação para investidores iniciantes e experientes, de jovens a idosos.

A aplicação é a escolhida de muitos brasileiros para montar uma reserva de emergência, por ser um ativo seguro e permitir resgates diários – mesmo com essas vantagens, fique atento ao dia de aniversário da sua poupança.

O fundo de emergência deve ter a quantia suficiente para cobrir suas despesas por seis meses. Ele será usado para eventualidades, como demissões, problemas de saúde e queda inesperada dos rendimentos. 

Se você gasta R$ 1 mil por mês, uma reserva sugerida é de R$ 6 mil. Alguns especialistas em finanças mais conservadores, no entanto, recomendam um fundo emergencial maior, o equivalente a 12 meses de gastos mensais. Sendo assim, o montante aumentaria para R$ 12 mil. 

A reserva de emergência é uma alternativa para que você não faça empréstimos e nem se endivide durante um período difícil. Com um dinheiro separado para eventualidades, você teria quantia suficiente para pagar as despesas sem precisar recorrer a créditos bancários. 

Mas onde investir a reserva de emergência? Em uma aplicação conservadora e de alta liquidez, afinal você não quer correr riscos em um momento de turbulência financeira. 

Veja o que considerar e o que evitar ao escolher onde aplicar o dinheiro:

Onde investir a reserva de emergência

  • Aplicações de baixo risco
  • Resgates em curto prazo (no mesmo dia ou no dia seguinte)
  • Aplicações seguras
  • Investimentos acessíveis
  • Sem tarifas (ou taxas baixas)
  • Com rentabilidade adequada à finalidade

Prefira: poupança, Tesouro Selic, CDB com liquidez diária.

Onde não investir a reserva de emergência

  • Aplicações de alto risco
  • Fundos com baixa liquidez
  • Aplicações com oscilações diárias
  • Investimentos de longo prazo
  • Investimentos com altas tarifas e elevadas taxas de manutenção
  • Guardar em casa
  • Deixar parado na conta corrente

Evite: renda variável, Tesouro IPCA+, LCI e LCA, contratos futuros, mercado imobiliário, câmbio.

Investir na poupança é ter a garantia de que o seu patrimônio estará seguro e acessível sempre que você precisar, sem complicações. Assine nossa newsletter para receber conteúdos sobre finanças e as melhores aplicações para seu dinheiro. É só preencher seus dados abaixo!