Com o aumento do valor de produtos, saber como economizar no mercado é fundamental para não gastar mais do que podemos. Afinal, além das compras, existem várias outras dívidas que precisamos lidar mensalmente.

Por mais que pareça difícil, é possível economizar no supermercado e, ainda assim, levar tudo que você precisa para casa. O ponto é adaptar seu comportamento de compra e ter as dicas certas em mente na hora de adquirir os itens.

Por isso, separamos 12 hábitos para entender como economizar nas compras do supermercado e conseguir estruturar seu planejamento financeiro sem dores de cabeça. Continue a leitura e confira!

Clique para baixar o e-book sobre mudança de hábitos para investir.

1. Evite ir às compras com pressa

Na correria do dia a dia, é comum que coloquemos a tarefa de fazer as compras em horários vagos e sem reservar um tempo específico para realizar as aquisições com calma e paciência.

No entanto, uma das formas de entender como economizar no supermercado é ter em mente que, como cita o ditado, “a pressa é inimiga da perfeição”.

Quando vamos às compras sem um período de tempo reservado para realizar a tarefa, torna-se impossível pesquisar preços, fazer visitas a diferentes mercados e focar nos valores e nas promoções.

Na pressa, tendemos a pegar o que precisamos sem muita atenção, o que pode resultar em pagar mais caro por produtos. Além disso, não fazemos algumas contas importantes para entender o custo-benefício de determinados itens.

O papel higiênico, por exemplo, é vendido em um saco com vários. Ao adquirir o seu, é válido dividir o preço total pelo número de rolos presentes no pacote, a fim de identificar quanto irá pagar na unidade do produto.

Homem realizando as contas antes de fazer a compra no supermercado.
Quando você vai ao mercado com calma, pode fazer pesquisas de preço e contas importantes para pagar menos.

Itens vendidos por quilo também precisam de uma atenção especial, a fim de identificar qual o valor você está pagando no todo e não apenas na bandeja de queijo, por exemplo.

Às vezes, o item está mais barato por vir com menos unidades, enquanto o quilo está bem mais caro que outras opções. Portanto, ir às compras com tempo é fundamental para realizar análises e economizar dinheiro.

2. Deixe as crianças em casa

Ir às compras com as crianças pode aumentar consideravelmente o valor final das aquisições, visto que é da natureza infantil sentir desejos e fazer pedidos ao se depararem com determinados produtos. 

Infelizmente, eles não conseguem racionalizar e compreender a questão financeira tanto quanto adultos, por ainda estarem desenvolvendo habilidades analíticas.

Por isso, deixar os pequenos em casa é uma forma de garantir que não irá ceder aos desejos das crianças para deixá-las felizes, afinal, queremos que elas fiquem contentes.

Isso não significa que você não deve comprar um produto para os pequeninos. Na verdade, você conseguirá adquirir o que estava planejando e o que pode pagar sem deixá-los tristes, sem ser incompreendido e sem ultrapassar seu limite.

3. Faça uma lista de compras

Antes de sair de casa, faça a lista de compras para economizar e evitar gastos desnecessários. Afinal, quando você tem tudo no papel, não fica perdido e deixa de comprar produtos que na verdade ainda tem em casa.

Mulher conferindo se pegou todos os itens da sua lista de compras.
Leve sua lista de compras para o mercado e evite comprar o que não precisa.

Faça uma varredura nos armários para identificar os produtos de limpeza que ainda não acabaram e os alimentos que você ainda tem guardado. Dessa forma, evita acúmulos e foca apenas no que de fato precisa ser adquirido. 

4. Defina um teto de gastos

Definir um gasto médio no supermercado é importante para não extrapolar seu limite financeiro e para não comprometer seu saldo de uma vez.

É fundamental que o teto de gastos faça sentido com o cenário atual. Portanto, analise os produtos da sua lista e estabeleça o limite dentro do que precisa ser comprado.

5. Estipule o cardápio

Pense em qual será o cardápio da semana antes de ir às compras a fim de comprar exatamente o que você precisa para prepará-lo. Conhecendo sua família, é possível elencar quanto tempo, por exemplo, dura a mistura.

Assim, evita ficar com o congelador e com a geladeira cheios de produtos que podem, inclusive, passar do prazo de validade e serem desperdiçados.

Tente, ainda, inserir mais legumes, verduras e frutas na alimentação. Esses produtos tendem a ser mais baratos que as carnes e são supersaborosos.

6. Fique de olho em promoções

Acompanhe as promoções dos mercados próximos à sua casa para pagar menos em produtos de qualidade. Algumas redes de lojas possuem canais no WhatsApp para enviar os itens que estão em desconto na semana.

Pessoa empurrando um carrinho de supermercado pelos corredores.
Fique atento às promoções que são encontradas nas prateleiras e pague menos nos produtos.

Além disso, é comum que os supermercados tenham dias específicos para determinadas promoções. Legumes, verduras, carnes e até bebidas possuem valores especiais de acordo com a data.

Estude sua região e encontre dias e ofertas que valem a pena usufruir e, dessa forma, economize nas compras.

7. Faça pesquisas de preço

Não dá para economizar sem estudar os mercados que estão próximos de você. Por isso, separe um tempo para realizar pesquisas de preço nos comércios.

Às vezes, um estabelecimento possui bons preços para legumes, enquanto outro se mostra promissor na hora de adquirir produtos de limpeza. Apenas realizando a pesquisa de preço e visitando os mercados será possível perceber esses detalhes, o que torna mais importante não sair para as compras com pressa.

8. Fuja das compras mensais

Fazer as compras do mês gastando pouco é uma tarefa difícil porque a quantidade de produtos no carrinho será bem maior do que uma aquisição semanal, por exemplo.

Mulher segurando uma cestinha compras em frente à geladeira de frios do mercado.
As compras mensais costumam ser grandes e, por isso, mais caras e menos focadas no que de fato é necessário.

Por isso, a ideia é deixar as compras mensais de lado. Torne a tarefa semanal a fim de adquirir o que você precisa apenas quando for realmente necessário. Dessa forma, evita acúmulos, não precisa fazer projeções para um prazo tão longo (o de 30 dias) e economiza gastando de sete em sete dias com o que de fato consumirá.

9. Compre no atacado

Caso sua família seja numerosa, alguns produtos (como sabonetes, pastas de dentes e bolachas) podem ser comprados no atacado. Por mais que o valor seja um pouco maior, os itens durarão mais tempo que se comprados em unidade.

O ponto é fazer as contas e ver se realmente compensa. Se o preço no atacado estiver com bom custo-benefício, vale o investimento. 

Outra questão para avaliar é a utilidade do produto. Se houver o risco do item estragar, é melhor evitar a aquisição para não ter desperdícios.

10. Confira a validade

Conferir a validade do produto é importante para não gastar dinheiro em algo que irá estragar antes de ser consumido, o que gera gastos desnecessários e, automaticamente, a perda do investimento.

Mulher observando a data de validade de uma lata.
Crie o costume de analisar os produtos e de verificar o prazo de validade antes da compra.

Ao mesmo tempo, ficar de olho no prazo de validade é uma forma de aproveitar promoções. Vários mercados possuem gôndolas específicas para produtos que vencerão em breve e precisam ser consumidos com urgência.

Nesses casos, a dica é analisar se você de fato irá usar o item antes que ele estrague. Assim, paga mais barato em um produto porém ciente que precisa consumi-lo rapidamente.

11. Procure por marcas boas e baratas

Marcas reconhecidas tendem a ser mais caras que aquelas regionais ou que estão em lançamento. Por isso, vale a pena provar alguns produtos de empresas menos famosas para descobrir se eles são gostosos e em conta.

Empresas regionais e menores tendem a oferecer produtos mais baratos e com extrema qualidade. A dica é testar e, se for bom, comprar com mais frequência.

12. Evite comprar no crédito

Passar as compras no crédito pode até dar uma sensação de controle, mas, na verdade, é uma atitude que adia o pagamento e pode comprometer o seu financeiro no futuro.

Algumas contas, como a de energia, de água e o aluguel — se for o caso — não entram na fatura, o que pode causar descontroles e gastos exagerados que não conseguirão ser quitados.

Por isso, tente pagar as contas do mercado no débito e acompanhar de perto o que está sendo gasto, a fim de controlar seu planejamento financeiro.

Contar com essas dicas na hora de descobrir como economizar no mercado é uma maneira de cuidar bem do seu dinheiro ao mesmo tempo em que adquire tudo que precisa.

Para receber mais conteúdos sobre organização e planejamento financeiro, assine a newsletter da Sicredi União PR/SP e fique de olho na sua caixa de entrada. É só rolar um pouquinho a página e preencher o formulário!

Avaliar:

(4)